Arquivo da categoria: Uncategorized

Valderi e Mizael – Olho de vidro

Soldados armados em grande batalha Cobriam de sangue a terra alemã Ali onde a morte era trunfo e vitória Raiava mais uma sangrenta manhã Seguiram as buscas ao grande inimigo Soldados formados por um batalhão E quando invadiam a velha … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Mococa e Moraci – Jardineira do adeus

Em mil novecentos e cinquenta e tres as cinco da tarde de um dia qualquer deixei minha terra em busca de um sonho mas não por despeito de alguma mulher a minha mãezinha me deu um abraço senti que o … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Tião Carreiro e Pardinho – Jogador de baralho

Conheci um moço pobre, honrado e trabalhador Foi nascido e foi criado numa vila do interior Veio para capital estudar pra ser doutor Levado por maus amigos deu um grande jogador Deixou o estudo e o trabalho com as cartas … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Lourenço e Lourival – Relógio quebrado

Vou contar de uma passagem na vida de dois irmãos Que vivia discutindo a respeito a religião Jose que era o mais velho tinha sua devoção Na hora de ele ir deitar fazia suas oração. O seu irmão Dorvalino falava … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Chico Rey e Paraná – Valsa dos 15 anos

Hoje é a festa dos seus quinze anos Não fique assim chorando filhinha querida; Quero lhe ver na sala dançando E feliz festejando a data florida. E claro a mãezinha não está presente Mais no céu se sente orgulhosos de … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Brenno Reis e Marco Viola – Inquilino de violeiro

Um rapaz com sua viola, vem chegando do interior Com chapéu de boiadeiro e trajes de lavrador Em um prédio de São Paulo, entrou no elevador Também entrou uma moça igual um botão de flor Achando a moça tão bela … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Sérgio Reis – João de Barro

O João de Barro, pra ser feliz como eu Certo dia resolveu, arranjar uma companheira No vai-e-vem, com o barro da biquinha Ele fez sua casinha, lá no galho da paineira Toda manhã, o pedreiro da floresta Cantava fazendo festa, … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário